A segurança do investimento em imóveis durante a crise do coronavírus

A segurança do investimento em imóveis durante a crise do coronavírus

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O investimento em imóveis continua sendo uma opção viável e segura apesar da crise instaurada pelo novo coronavírus. Isso porque neste ano, apesar da incerteza vivida pela população mundial em vista das movimentações do mercado e da economia, a Selic atingiu o menor patamar histórico e este índice referencia todas as taxas cobradas pelos bancos do país.

Além disso, a depender do banco, o valor de entrada do financiamento está mais baixo! Por exemplo, o Banco Santander anunciou no início de 2020 o aumento de 80% para 90% do limite de financiamento imobiliário e, portanto, a entrada mínima passou para a casa dos 10%!

Mas fique atento! Esta é uma decisão que atinge apenas os contratos de parcelas atualizáveis pelo Sistema de Amortização Constante (SAC) e os imóveis que cumprem com os critérios estabelecidos são os residenciais cujo valor são superiores a R$90.000,00 e que estão enquadrados nos contratos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).

Outra questão que contribui para o investimento em imóveis é a carência para novos contratos de financiamento imobiliário, que foi anunciada em abril e permite que o comprador tenha uma carência de seis meses (180 dias) para início do pagamento das prestações do financiamento de imóveis novos para pessoas físicas, se tratando de uma medida válida para todas as linhas de crédito.

Como se não bastasse, apesar da expectativa da desvalorização dos imóveis durante esta pandemia, isto não se concretizou! Os valores imobiliários estão estáveis e, como se trata de um tipo de investimento com um grande potencial de valorização ao longo dos anos, a tendência é que você consiga obter ótimos resultados financeiros, seja através desta valorização esperada ou outras finalidades como, por exemplo, o ganho através de aluguéis.