Financiamento ou empréstimo: qual é a melhor opção para você?

Financiamento ou empréstimo: qual é a melhor opção para você?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Uma das principais dúvidas que uma pessoa pode apresentar em relação à obtenção de crédito para a realização do sonho da casa própria é optar pelo financiamento ou pelo empréstimo, que são duas maneiras que possibilitam o pagamento parcelado, mas que possuem regras específicas e diferentes.

No caso do financiamento, o mesmo é realizado para uma finalidade específica. Ou seja, você realiza o financiamento porque deseja obter um imóvel e este imóvel serve de garantia, então caso você não consiga cumprir com o pagamento das parcelas, este imóvel é retomado pela instituição.

De imediato, o financiamento demanda o pagamento de uma entrada, cujo percentual pode variar a depender de uma série de fatores, porém as taxas de juros praticadas nesta modalidade costumam ser mais atrativas, justamente pela garantia que mencionamos acima.

O prazo de pagamento de um financiamento costuma ser realizado em longos períodos, sendo os mais comuns de 30 e 35 anos.

Já o empréstimo, ele não possui uma finalidade específica, então o valor não está associado a um bem que serve como garantia.

Para obter a aprovação, portanto, é necessário que seja realizada uma análise de crédito que terá este efeito de “garantia” para que o empréstimo seja aprovado.

Além disso, diferentemente do financiamento, no empréstimo não é solicitado que seja feito o pagamento de uma entrada, porém as taxas de juros são maiores.

É válido ressaltar que há exceções que, assim como no financiamento, solicitam uma garantia e, por consequência, apresentam taxas de juros inferiores.

No caso do não cumprimento do pagamento, como na maioria das vezes não há uma garantia, o que acontece é que a pessoa tem a sua dívida aumentada e o seu nome se torna inseguro nos cadastros de inadimplentes, podendo chegar ao ponto em que bens sejam penhorados para cobrir os valores.

Além disso, os prazos de pagamento são bem inferiores, sendo que a média costuma ser de 48 meses (4 anos).

Diante das informações detalhadas anteriormente, é possível compreender que se tratam de duas modalidades distintas e mais atrativas ou não para uma situação ou outra, portanto é necessário que a pessoa identifique qual é a sua demanda para optar pela realização de um empréstimo ou financiamento.