5 perguntas que você PRECISA fazer ao seu corretor

5 perguntas que você PRECISA fazer ao seu corretor

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Adquirir um imóvel é uma decisão que precisa, antes de tudo, de confiança e certeza, e isso só é possível adquirindo informação e fazendo as perguntas certas para o seu corretor de imóveis.

Separamos algumas que você não pode deixar de fazer!

  1. Quais as condições do imóvel?

Essa questão é essencial, principalmente para quem irá adquirir um imóvel usado, uma vez que a visita breve para conhecer o local pode não suprir todas as questões.

É importante saber como está a estrutura do imóvel, ou se esse já foi reformado alguma vez. Isso evita surpresas como, por exemplo, descobrir que é necessário realizar uma série de reparos no encanamento após a mudança, por exemplo.

  • Como é a vizinhança?

A segurança do local é primordial para o bem estar. Além disso, é preciso saber se a região é tranquila ou não, principalmente se esse for um fator importante para você!

Saber quais estabelecimentos (comércios, supermercados, farmácias, etc.), e opções de lazer existem nas proximidades também é fundamental para se projetar como será a vida ali.

  • O imóvel possui tudo o que eu preciso?

Essa pergunta precisa ser feita ao corretor, mas também para si mesmo!

O número de quartos me atende? Tenho espaço para receber família e amigos, ou o lugar é grande demais para a minha rotina que mal me permite ficar em casa? E a mobilidade, se encaixa em tudo o que eu preciso?

  • Quais os custos associados ao imóvel?

Na hora de fazer as contas, muitas pessoas colocam apenas o valor das parcelas no papel, se esquecendo que a aquisição de um novo imóvel traz diversos outros custos associados.

É o caso das taxas de condomínio, por exemplo, ou até mesmo de um consumo maior ou menor de gasolina nos deslocamentos diários para a escola ou trabalho.

  • É possível negociar os valores?

É preciso ter em mente que nem todo imóvel tem seu valor fixo. Em grande parte dos casos é possível negociar o valor final, seja por meio de um montante de entrada, ou até mesmo de acordo com o parcelamento e taxas de juros oferecidos pela instituição financeira escolhida.